Desenvolvimento Sustentável

Capa do vídeo 1 minuto: Desenvolvimento Sustentável. Verde com uma folha estilizada.

O Relatório de Brundtland definiu o conceito de Desenvolvimento Sustentável e uma nova forma de entender como lidar com os recursos naturais.

Assista ao vídeo de um minuto com um explicação objetiva sobre onde e como aplicamos o Desenvolvimento Sustentável.

O conceito de Desenvolvimento Sustentável (DS) foi apresentado pela primeira vez no Relatório de Brundtland para explicar como atender as necessidades do presente sem comprometer as gerações futuras. Ou seja, ao serem definidos os objetivos econômicos e sociais, é preciso levar em consideração o impacto e as consequências das estratégias para alcançar o que for proposto.

Explicando a definição de Desenvolvimento e de Sustentável

O desenvolvimento sustentável não pode ser um fator de restrição ao crescimento, muito pelo contrário. Para ser desenvolvimento supõem-se que haverá uma transformação progressiva da economia e da sociedade. Mas este progresso só será sustentável se o acesso aos recursos e a distribuição de custos e benefícios for equilibrada para as gerações do presente e para as que vierem suceder.

Desenvolvimento não são apenas as ações que nações pobres precisam tomar para alcançar as nações ricas. Por este motivo o Desenvolvimento Sustentável está diretamente ligado ao desenvolvimento econômico, social, tecnológico, educação, saúde entre os outros apontados pela Organização das Nações Unidas – ONU, como os 17 Objetivos para o DS.

Conheça também o que é Protocolo de Montreal

O Relatório de Brundtland

O Relatório que deu origem ao conceito de Desenvolvimento Sustentável foi desenvolvido pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada em 1982. O relatório recebeu este nome em menção à presidente da comissão, Gro Harlem Brundtland, e também é conhecido como “O Nosso Futuro Comum. Resumindo o contexto da época sobre o entendimento de preservação ambiental, a presidente conta:

“Em 1982, quando se discutiam pela primeira vez as atribuições de nossa Comissão, houve quem desejasse que suas considerações se limitassem apenas a “questões ambientais”. Isto teria sido um grave erro. O meio ambiente não existe como uma esfera desvinculada das ações, ambições e necessidades humanas, e tentar defendê-lo sem levar em conta os problemas humanos deu à própria expressão “meio ambiente” uma conotação de ingenuidade em certos círculos políticos”.

Gro Harlem Brundtland – Nosso Futuro Comum, 1987.

Para compreender a aplicação do conceito no dia-a-dia é importante a compreensão de que o meio ambiente não existe para servir a humanidade, mas para coexistir. E se pensar bem, nós precisamos mais da natureza do que ela de nós. E para esta nossa relação de dependência também tem um nome: serviços ambientais. Mas este assunto é tema para outro post.

Curta! Comente!! Compartilhe!!!

Acesse: www.codigodecultura.com Facebook: @codigodecultura

gipiragis@gmail.com

gipiragis@gmail.com